Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vamos falar de... Bla bla bla

Vamos falar de... Bla bla bla

28
Jun19

Vamos falar de...O Jardim Encantado, Sarah Addison Allen


Bla bla bla

 

jardimencantado.png

Ainda só havia lido um livro desta escritora à muitos, muitos anos. Sabia portanto que me esperava um livro leve com o seu "Q" de magia. Não me desiludiu.

Na verdade, ando agora numa ânsia para comprar o livro que se segue de continuação desta estória.

 

Não é uma grande obra literária mas é daqueles livros que não nos obrigam a pensar muito, a estar concentrados embora nos envolva. A trama é previsível obviamente mas o realismo mágico é a minha praia e portanto este livro agradou-me muito.

 

Apaixonei-me pelas mulheres da família Waverly e ganhei um carinho especial à Evanelle.

 

Comprei a edição de bolso que custa €7,50 sendo que em promoção e com vales de descontos consegui arrebatá-lo por pouco mais de €5.

 

Alguém por aí que já tenha lido algum livro desta escritora?

 

 

Sinopse

Num jardim escondido por trás de uma tranquila casa na mais pequena das cidades, existe uma macieira e os rumores que circulam dão conta de que dá um tipo muito especial de fruto. Neste encantador romance, Sarah Addison Allen conta a história dessa árvore encantada e das extraordinárias pessoas que dela cuidam...

As mulheres da família Waverley são herdeiras de um legado mágico — o jardim familiar, famoso pela sua macieira, que produz frutos proféticos, e pelas suas flores comestíveis, imbuídas de poderes especiais que afetam quem quer que as coma.

Proprietária de uma empresa de catering, Claire Waverley prepara pratos com as suas plantas místicas — desde as chagas que ajudam a guardar segredos até às bocas-de-lobo destinadas a desencorajar intenções amorosas. Entretanto, a sua idosa prima Evanelle é conhecida por distribuir presentes inesperados cuja utilidade se torna mais tarde misteriosamente clara. São elas os últimos membros da família Waverley — com exceção da rebelde irmã de Claire, Sydney, que fugiu da cidade há muitos anos.

Quando Sydney regressa subitamente a Bascom com uma filha pequena, a tranquila vida de Claire sofre uma reviravolta, bem como a fronteira protetora que erigiu tão cuidadosamente em redor do seu coração. Juntas uma vez mais na casa onde cresceram, Sydney reflete sobre tudo o que deixou para trás ao mesmo tempo que Claire se esforça por sarar as feridas do passado. E em pouco tempo as irmãs apercebem-se de que têm de lidar com o seu legado comum para viverem as alegrias do futuro que se anuncia.

Encantador e pungente, este fascinante romance irá, seguramente, enfeitiçar o leitor.

 

 

imagem daqui

 

 

Bla bla bla

27
Jun19

Vamos falar de...SAPOBLOGS


Bla bla bla

sapo.png

Quantos blogs há no Sapo?

 

Quantos pessoas visitam os blogs do Sapo diariamente?

 

Qual o blog com mais seguidores e quantos seguidores são? 

 

Qual o blog com mais visitas atualmente? 

 

Qual o blog com mais visitas de sempre aqui no Sapo? 

 

 

Alguém sabe responder a alguma destas questões? Mais alguém gostava de saber? Ou sou a única cusca curiosa por aqui?

 

 

Bla bla bla

 

 

* imagem daqui

27
Jun19

Vamos falar de...Os Linhos da avó, Rosa Lobato Faria


Bla bla bla

linhos avo.png

Já devem estar fartinhos que eu escreva sobre os livros da Rosinha mas como bem sabem estou numa demanda para os reler a todos e portanto temos pena, ainda não acabei, e não vai ficar por aqui.

 

Este livro é um livro de contos dispersos. Tenho uma relação de amor-ódio com os contos porque há alguns que sim aquilo chega bem para a mensagem que se quer transmitir, mas outros há em que uma pessoa fica a ansiar por mais, quer saber o que vem antes, o que virá depois, conhecer melhor este ou aquele personagem.

 

Portanto é com cautela que recomendo este livro.

Mais, para quem nunca leu nada da Rosa Lobato Faria por favor não comecem com este que não tem para mim o suficiente para nos apaixonarmos.

 

 

Sinopse

Tal como a avó da história, que arrecadava os linhos em armários esquecidos e os perfumava com maçãs, também Rosa Lobato de Faria pegou nos textos guardados na gaveta, sacudiu-lhes algum perfume de nostalgia e decidiu juntá-los neste livro, para gáudio dos seus numerosos e fiéis leitores. São 21 histórias que nos falam quase sempre de mulheres: dos seus amores, das traições, da sua perseverança, do seu combate por uma dignidade negada e reprimida. Mas que nos falam também dos homens que estão ao seu lado, da vida dos casais, da sexualidade, da paixão e do ciúme.

 

Imagem daqui

 

Bla bla bla

26
Jun19

Vamos falar de...POS


Bla bla bla

Já lá vão alguns dias desde que a andei porque aqui pelo que é mais fácil fazer um POS dos acontecimentos...

 

 

Neste post aqui confessei que a minha alimentação era deplorável. Muitas gorduras, o meu colestrol ao rubro, a certeza que tenho a diabetes a bater-me à porta mais cedo ou mais tarde, a vontade de mudar e começar a ter hábitos alimentares mais saudáveis...

Entretanto posso dizer que as mudanças já começaram, mas devagar devagarinho minha gente!

Já deixei os refrigirantes, acabei com a malvada Vaqueiro, substitui o açucar refinado por açucar amarelo, reduzi o uso de sal, aumentei drasticamente o consumo de vegetais e começo agora a aumentar o de frutas também.

Não deixei o chocolate.

A Bela partilhou algumas receitas comigo que muito agredeço. Já exprimentei os muffins de maça aos quais só não coloquei canela porque não gosto.

Até agora as pequenas mudanças que fiz não foram dificeis, resta saber se serão suficientes.

 

 

Livros...Bolas já li mais três livros desde o último e para quem gosta de ler sobre o que eu acho dos livros que leio e releio prometo falar sobre eles até ao final da semana.

Podia fazer disto carreira, pagarem-me para ler livros, que sonho!

Tenho pena de não poder ler mais do que a carteira me permite...

 

 

Neste post aqui falei das minhas dividas, e é com muita alegria que vos conto que a mais pequenininha de todas está liquidada! Yeahey!!!!

Foi mesmo a mais pequenininha mas é um começo. Só faltam 5 das quais 2 são gigantes, mas pronto, para a frente é o caminho.

 

 

Neste post aqui muito se falou nos comentários acerca da criação de um grupo do whatsapp para partilha de vídeos de conteúdo duvidoso... está para breve!

Na devida altura virei aqui convidar os interessados, explicar os termos e condições, bla bla bla.

 

 

E acho que é tudo. E vocês como passaram estes dias?

O Santo já se acabou à muito.

Ainda de ressaca do São João?

O São Pedro já está à porta!

 

 

Um grande bem hajam para todos!

 

 

Bla bla bla

 

18
Jun19

Vamos falar de...A Flor do Sal, Rosa Lobato Faria


Bla bla bla

FLOR DE SAL.png

Como já devem ter percebido eu devoro os livros desta senhora.

Fico consumida, agarrada, viciada, sem vontade de ler mais nada que não as suas estórias que me parecem a mim ser tocadas por alguma espécie de varinha de condão.

 

Neste livro é contada a a estória de Afonso Sanches, navegador português (que de facto existiu) e da escritora que escreve a sua estória Guiomar e de seu irmão gémeo Lourenço

.

Os capítulos vão alternando ora na estória de um ora na estória de outro, entrelaçados entre si.

 

Não sei dizer de qual das estórias gostei mais, qualquer uma das duas me toca profundamente.

 

Fico infindavelmente triste quando acabo de (re)ler mais um dos livros dela e sem vontade de ler outro qualquer.

Felizmente tenho mais um, depois desse não sei o que vou ler porque não tenho vontade de ler mais nada...

 

 

Sinopse

Entre a História e a atualidade, os mistérios do amor e da morte.

"A Flor do Sal" fala-nos da construção de um livro sobre um marinheiro do século XV e sobre o episódio de que ele foi protagonista.
Esse pescador de Cascais, Afonso Sanches (que efetivamente existiu), mais tarde baleeiro e por fim piloto de uma expedição que buscava a Índia a Ocidente, chegou casualmente às costas da América em 1481 (onze anos antes de Colombo) e disso deu notícia ao rei D. João II. Porém, o rei pediu-lhe silêncio sobre o seu achamento, por estar em vias de elaboração o Tratado de Tordesilhas.
Mais de quinhentos anos depois, uma escritora aproveita este facto histórico para elaborar a sua própria ficção – e a sua história cruza-se com a de Afonso Sanches, num romance sobre os mistérios da criatividade, do amor e da morte.
"A Flor do Sal" vem confirmar a maturidade literária de Rosa Lobato de Faria e impô-la como um nome incontornável da nossa mais moderna ficção.

 

 

 

A imagem acima é daqui

 

Bla bla bla

 

 

 

17
Jun19

Vamos falar de...Diário de um fumador, David Sedaris


Bla bla bla

DIARIOFUMUDAROR.jpg

 

Confesso que não sei ao certo o que me levou a comprar este livro. Se o título, se a capa, se o autor (que já conhecia e que é engraçadíssimo), se a sinopse, se o preço... se a junção de todas estas coisas ou se nenhuma delas...

 

Demorei um pouco a lê-lo porque não me entusiasmou tanto quanto esperava.

Apenas um capitulo me fez dar uma pequena gargalhada, nos outros apenas um esboço de sorriso.

 

Também não é grande ajuda caso o pretendido seja procurar ânimo para deixar de fumar.

Não é que incentive mas também não motiva.

 

 

Sinopse

O que faz de David Sedaris o homem mais divertido do mundo? Bom, como muitos de nós, tem um quotidiano cheio de pequenas bizarrias e acontecimentos cómicos; mas, no caso dele, o bizarro torna-se cada vez mais bizarro e o cómico chega ao puro absurdo. Quer saber como é que o homem mais divertido do mundo passa os seus dias? Bom, já foi fumador, já fez um estágio numa morgue, já teve a sua casa de campo invadida por pássaros, já andou de táxi com um condutor obcecado por sexo fetichista, já ofereceu um esqueleto (verdadeiro) como presente de anos, já fez corridas de natação com uma mulher com síndrome de Down…

Depois de tudo isto, que experiência bizarra e inaudita lhe faltava enfrentar? Apenas uma; uma das experiências mais traumáticas e marcantes que alguém pode alguma vez enfrentar: deixar de fumar…

 

 

Bla bla bla

14
Jun19

Vamos falar de...alimentação saudável (NOT)


Bla bla bla

Não sou uma pessoa saudável.

 

Não tenho problemas de saúde de maior (por agora) mas sei que continuando assim é apenas uma questão de tempo.

 

O único exercicio fisico que faço é correr para os transportes e sexo (e sei bem que isso não conta).

 

Mas a minha alimentação é o maior desastre!

Como pão com manteiga com sal, de um lado e do outro... ou com quilos de nutella (literalmente, infelizmente não estou a exagerar).

Uso (e abuso) da margarina nos cozinhados (gasto um pacote daqueles grandes da Vaqueiro por mês!).

Estico-me no sal.

Como chocolate TODOS os dias.

Como muitos muitos bolos.

Abuso do café.

Uso muitas natas e bechamel.

Raramente como fruta.

Os vegetais que como (e também não são muitos) são salteados com azeite e alho ou regados com os molhos que já referi acima.

 

Portanto, já desde muito nova que sei que inevitalvemente irei ter diabetes, e por essa razão abuso ainda mais dos doces, porque sei que um dia não o vou poder fazer.

Também é provavel que venha a ter problemas no coração.

Ou até um AVC.

O colestrol já passou dos limites faz tempo...

 

Para ajudar à festa o historial clinico familiar contém todas as doenças do cardápio acima (e mais algumas), pelo que até a genética está contra mim.

 

Posto isto, venho aqui admitir que preciso de ajuda.

Mas não sei por onde começar.

Dos livros que folhei, do que pesquisei na net, parece-me tudo muito desenxabido, muito sem sal (suspeitem de mim que obviamente eu é que devo estar salgada), e muito dificil de aplicar no dia a dia.

 

Alguém por aí com alguma recomendação de site, blog, livro, qualquer coisa que me possa ajudar a alterar os meus terríveis hábitos alimentares?

 

 

Bla bla bla

11
Jun19

Vamos falar de...Ana Malhoa


Bla bla bla

anamalhoa.jpg

Imagem daqui

 

O prometido é devido!

O Triptofano (que eu amo de paixão ) fez-me o tenebroso desafio de dissertar acerca da Ana Malhoa, que tanto nos tem agraciado com tão valorosas canções com ritmos latinos e calientes e letras de cariz picante e sexual.

 

 

Creio que o esperado e mais fácil seria fazer aqui uma bela de uma paródia à Ana Malhoa.

Contudo (e lamento desiludir-vos!) não é isso que encontrarão aqui. Se é isso que procuram vão se já embora e não continuem a ler. Depois não digam que não avisei.

 

 

Na minha intensa pesquisa sobre a vida desta artista portuguesa eis o que descobri (no wikipedia):

  • Ana Sofia Lopes Malhoa nasceu em Agosto de 1979.
  • Completa portanto este ano os seus 40 anos.
  • Iniciou a sua carreira musicam em 1985 ,ao lado do pai José Malhoa.
  • 40 anos de idade, 34 de carreira.
  • Foi casada com Jorge Moreira com quem teve uma filha Índia Malhoa Moreira em 1999.
  • 40 anos de idade, 34 de carreira, mãe à 20 anos.
  • O programa infantil de televisão Buéréré que apresentou na SIC foi o programa mais visto de sempre na história da televisão portuguesa no que concerne ao share, sendo que apresentava uma média de 92%.
  • Ana Malhou também já foi embaixadora da Unicef.

 

 

Não sou fã da Ana Malhoa.

Não me identifico com o estilo nem com o género.

Mas não lhe retiro valor nem mérito.

 

 

Se a Ana Malhoa tivesse tido o fado de nascer norte-americana e por lá tivesse desenvolvido a sua carreira não duvido que chegasse a ser um sucesso, reconhecido internacionalmente e, com uma série de fãs por cá também. Em terras lusas.

Mas não, ela é portuguesa, alfacinha de gema, e portanto considerada uma bimba.

As turbinadas lá fora são lindas e espetaculares; ela é reles.

Os videoclips dos artistas de fora são altas produções; os delas são vistos como espalhafatosos e exagerados.

 

Enfim… devia ter esperado mais uns dias para escrever este post com bom humor mas nem sempre temos o que queremos, num é?!

 

 

E pronto, só para vos alegrar um bocadinho o dia, partilho ainda a imagem da dita sócia da Ana Malhoa (mais para o lado do terror), de nome Lila Sousa.

LilaSousa.jpg

Imagem daqui

 

 

E se quiserem mesmo ganhar o dia vejam esta mistela espetacular, Teresa Guilherme em versão Ana Malhoa (Medo!), que descobri graças à querida Hikarry (para quem mando um beijinho ) do blog Little Crushed Heart. Ide lá ver ou cliquem aqui que é uma visão do inferno a não perder!

 

 

 

E para terminar em beleza, abaixo e a sublinhado estão algumas canções da Ana Malhoa que podem pesquisar; tive de acrescentar algumas palavras da minha autoria que são as que não estão sublinhadas obviamente, só para isto não parecer mais uma lista de músicas sem graça.

 

Eu sou Latina,

tenho um nobre coração

Com a minha guitarra e o meu piano de brincar

Toco a mais linda canção.

 

Ele é menino da mamã mas usa calças rasgadas

Tem carinha bonita

Á noite gosta de me dar nalgadas.

 

A noite é loucura

Nada é proibido

Ela mexe, mexe, mexe, mexe, mexe

Até me fazer cócegas no umbigo.

 

O teu corpo ardente,

deixa-me louca de ansiedade

Como a uma garotinha, no inicio da puberdade.

 

Vou dizer ao meu pai

Que eu vou-me apaixonar

Mas ele respondeu

Que ainda é muito cedo para namorar

 

 

 

Ana Malhoa, se porventura alguma vez leres isto, peço desde já as minhas sinceras desculpas por qualquer inexatidão ou se de alguma forma te tiver ofendido.

Beijinhos grandes e espero que nos continues a brindar-nos por muitos e longos anos com as tuas músicas javardonas (no bom sentido!) e com a tua gargalhada fácil e feliz que sempre achei linda.

 

 

Bla bla bla

 

06
Jun19

Vamos falar de...feira do livro #2


Bla bla bla

#2 - A segunda visita

 

IMG_20190606_142026.jpg

 

 

Hoje com o tempo assim para o farrusco, não havia tanta gente, pelo que a minha visita foi muito mais agradavél.

 

Tenho um orçamento limitado mas este tinha de o comprar porque online se encontra esgotadissimo.

 

Como podem ver pela foto acima comprei Os Linhos da Avó de Rosa Lobato Faria, e assim que o (re)ler e terminar  venho cá falar-vos mais dele.

O preço dele é € 5,95 mas com o desconto ficou a € 4,90. Gastei menos de € 5,00 por um livro que sei que vou gostar, acho que me portei muito bem.

 

Falta-me encontar lá perdido A Alma Trocada ,também da Rosa, uma vez que se encontra esgotado em todo o lado.

Se o encontrarem por lá venham cá dizer-me onde está por favor!

 

 

Bla bla bla

04
Jun19

Vamos falar de...o que escrever?


Bla bla bla

Confesso que quando comecei este blog (e ainda não passaram nem quatro meses!) não sabia bem o que estava a começar.

Fi-lo num impulso, num vaipe que me deu, gostava de outros blog's, queria comentar, dar a minha opinião mas em vez de criar um perfil criei um blog .

 

Gosto de escrever, muito, mas descobri, entretanto, que gosto mais de o fazer à mão; os meus textos são muito dispersos, não têm por vezes qualquer enquadramento, nem ligações entre si; são esboços e rascunhos de outra coisa qualquer; a mim parecem-me sempre inacabados e incompletos; são pessoais e são meus; pensava que os conseguia transpôr para aqui mas não os quero partilhar.

 

Portanto, achei que o correto era vir para aqui despejar o que era mais leve.

Já falei de episódios caricatos da minha vida.

Já contei uma piada.

Já falei de sexo (e deixem-me que vos diga "Sex Sells!", embora eu não esteja a vender absolutamente nada).

Já falei de livros (que confesso, é o que mais gosto! Acho que devia transformar isto num blog literário ; que acham?).

E agora? Escrevo sobre o quê?

 

Nestes meses, ganhei cerca de 60 seguidores que penso que são os meus leitores habituais; quando falo de javardices as visualizações chegam às centenas, e ao contrário do que possam pensar, isso não me agrada de todo porque não sei quem está do lado de lá, se me reconhecem e eu não sei...

 

Não ganho absolutamente nada com o blog mas também nunca foi pretendi. Mas o que é que afinal eu pretendo mesmo?

 

Acho que deve andar ai alguma lua marada que nos tolda o discernimento e o espírito porque vejo que os meus blog's favoritos também estão em transformação; ou estão em pausa; ou estão a mudar os conteúdos; ou acabaram mesmo definitivamente; ou não publicam com tanta frequência como habitualmente...

 

Como leitora sei o que é estar desse lado, à espera de qualquer coisa, pequena ou grande, mais ou menos interessante, mas ficar contente por haver qualquer coisa.

Como autora, tenho medo de estar a defraudar quem aqui vem (e desde já peço desculpa se for o caso!). 

 

E fico neste impasse, sem saber o que fazer... ou melhor, sem saber o que escrever. 

 

Bla bla bla